Tipos de Doping

1- Pré-competitivo

Hormona de Crescimento
Esteróides anabolizante

2- Durante a competição

Doping Calmante
Doping Analgésico
Doping Estimulante

3- Pós-Competitivo

Diuréticos

4- Doping Sanguíneo

O Doping Sanguíneo

Existem quatro tipos de doping:
1- Pré-competitivo

Hormona de Crescimento – Produzida pela glândula pituitária (intramuscular), favorece o aumento da resistência e da capacidade de transporte de oxigénio. Aumento da massa muscular em poucos meses, logo aumenta a força. Diminuição do tempo de habituação a condições adversas.
O uso desta hormona é indetectável no controlo e pode ter graves consequências, como alergias e efeitos diabétogénicos, hipertrofia, acromegália e tumefacção dos tecidos moles, osteoporose, crescimento anormal dos ossos, engrossamento da pele e hipertensão.
Este tipo de substâncias é preferencialmente utilizado por halterofilistas, culturistas e lançadores.

Esteróides anabolizantes – São drogas semelhantes às hormonas androgénicas (testosterona), aumentando o anabolismo celular (via oral e intramuscular). Assim, o uso de esteróides anabolizantes provoca o aumento da massa muscular e da resistência, aumento da agressividade e melhora a capacidade de treino.
A sua utilização é detectável no controlo e produz efeitos secundários, tais como danos no fígado na pele e nos sistemas cardiovasculares e endócrino, tumores e alterações de personalidade, redução do tamanho dos testículos e diminuição da produção de espermatozóides (homens), sintomas de masculinização, supressão da função ovárica e redução do período de menstruação (mulheres), paragem precoce do crescimento (adolescentes), aumento das secreções sebáceas, acne e crescimento anormal de pêlos, tendinites, edemas, impotência, azoospermia e cancro na próstata

2- Durante a competição

Doping Calmante – O seu efeito consiste em inibir a taquicardia (diminuição da frequência cardíaca) e diminuir o tremor. Estes compostos são controlados em modalidades em que a actividade física não constituem factor determinante, mas onde a precisão e o autodomínio são factores importantes, como, por exemplo, no tiro. Os beta-bloqueantes são substâncias calmantes mais utilizadas.

Doping Analgésico – Actua como analgésico para o tratamento de dores moderadas ou fortes, sendo representada pela morfina e os seus derivados. A maioria destes compostos têm efeitos secundários bastante pronunciados, incluindo problemas respiratórios.

Doping Estimulante – Este tipo de substâncias (via oral e nasal) actua ao nível do sistema nervoso central e podem dividir-se em estimulantes fracos (cafeína, teifilina) e estimulantes fortes (afetaminas, cocaína estricnina). As aftaminas são as drogas mais frequentemente utilizadas produzindo os seguintes efeitos:
î Redução da fadiga;
î Aumento da competitividade, da agressividade, dos reflexos e da concentração;
î Estimulação mental;
î Aumento do fluxo sanguíneo.
Esta utilização frequente (detectáveis no controlo), provoca efeitos secundários tais como:
î Perda da capacidade do julgamento;
î Cefaleias, ansiedade e tremuras;
î Arritmias cardíacas (batimento irregular do coração);
î Taquicárdias, excitação, insónias, alucinações e emagrecimento;
î Pressão sanguínea elevada;
î Morte por colapso.
Este tipo de droga é utilizado preferencialmente no futebol, basquetebol e ciclismo.

A Cocaína – provoca uma sensação de bem-estar e atrasa a sensação de fadiga, contribuindo para o aumento da capacidade de trabalho. O uso desta substância tornou-se popular nos jogadores de Basquetebol e Futebol.

A Cafeína – provoca a mobilização dos ácidos gordos (“poupando” o glicogénio), sendo de particular importância para atletas de resistência de longa duração. Os efeitos secundários inerentes à sua utilização são:
- Arritmias cardíacas;
- Insónias.

3- Pós-Competitivo

Diuréticos – A introdução deste tipo de doping é via oral, sendo muito utilizados pelos atletas devido:
î Redução rápida de peso, em desportos que envolvam categorias de peso, como no boxe e no halterofilismo;
î Redução da concentração de substâncias químicas na urina, de forma a iludir o controlo.

Os seus efeitos secundários são:
î Hemorragias;
î Edemas;
î Diabetes e risco de fractura;
î Úlcera gastroduodenal;
î Insuficiência renal;
î Atrofia muscular;
î Cicratização dificultada e infecções.

4- Doping Sanguíneo

O Doping Sanguíneo – consiste num aumento no volume sanguíneo através de transfusão, com o objectivo de aumentar a capacidade de transporte de oxigénio. Normalmente o sangue usado na transfusão é do próprio atleta. Este terá que realizar um programa de treino em altitude, para que o défice de oxigénio provoque o aumento do número de eritrócitos, assim como a concentração de hemoglobina.

Print This Page Print This Page
65,382 views
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (90 votes, average: 4.39 out of 5)
Loading ... Loading ...